terça-feira, 16 de novembro de 2010

BASURA

La explosión demográfica ha causado entre otras cosas, una grave contaminación y degradación ambiental. Necesitamos medidas urgentes para controlar el crecimiento de los seres humanos en la Tierra, ya que ponen en peligro el equilibrio ecológico. Todo el mundo puede hacer su parte. No cría.


video

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

CONSCIENTIZAR SOBRE O PROBLEMA DO CRESCIMENTO DEMOGRÁFICO

TEMA: CRESCIMENTO DEMOGRAFICO
OBJETIVO DO ESTUDO: CONSCIENTIZAR SOBRE O PROBLEMA DO CRESCIMENTO DEMOGRÁFICO DESORDENADO
HABILIDADE: Trabalho em Power-Point com Imagens e fotos
PÚBLICO: ENSINO MÉDIO
NÚMERO DE AULAS: Duração de duas horas
ROTEIRO DE ESTUDO: A sequencia de fotos abaixo serve para refletirmos sobre o crescimento demográfico e como a vida humana caminha para se tornar insuportável se algo não começar a ser feito pelos governos e por cada individuo no sentido de contribuir para a desaceleração do crescimento
Tópicos a serem abordados:
Transporte














Habitação







Alimentação














Fauna











Flora












Lixo e destritos










Espaço físico










IMAGENS E AUTORES:








“RETIRANTES” de Portinari
Nesta pintura o artista Portinari retrata o êxodo de retirantes nordestinos que fugiam da fome e da seca no sertão nordestino, boa parte deste migrantes se dirigiam para São Paulo em busca de sobrevivencia e de uma vida melhor. Aqui muitos foram morar em favelas e encontraram emprego no crime. A falta de informação e de apoio social no século XX não dava meios para o sertanejo se manter em sua terra e ter controle sobre a natalidade, e apesar da fome as famílias eram numerosas.










ENCANTO DE PAISAGEM, de Nelson Sargento
Retrata as moradias o Rio de janeiro, quando nos anos 70 o crescimento desordenado da população fizeram com que a cidade cresce para cima, em direção aos morros que completam a paisagem carioca. Estas moradias construídas de forma improvisadas e em local de risco viria a contribuir para que desastres naturais causado pelos desmoronamentos matassem milhares de pessoas ao longo dos anos. NO Rio de Janeiro, este crescimento demográfico desordenado nos morros também facilitou a infiltração de bandidos de onde comandam o crime na cidade e dificuldade a ação do Estado devido a dificuldade de acesso geográfico dos morros










A CHUVA, do pintor espanhol Quintana Martelo
Este quadro mostra uma família caminhando na chuva, vemos que são muitos filho e pouco guarda-chuva. Refletindo sobre esta pintura percebemos que famílias com muitos filhos encontra dificuldade bem maiores do que as famílias com menor prole. Até as tarefas mais simples começam ater proporções herculanas para quem tem que alimentar, educar e proteger uma família numerosa.











A MULTIDÃO ILUMINADA, de Raymon Mason
Esta gigantesca escultura do artista Raymond Mason, se encontra instalada na Avendia McGill Collège, em Montreal, no Canadá, e é composta por 65 personagens que representam a fragilidade e degradação da humanidade. Analisando cada figura se percebe uma atitude de fragilidade das pessoas como medo, vergonha, espanto, desconfiança, tristeza, falta de esperança. O fato da espécie humana possui bilhões de exemplares, e viverem em enorme formigueiros ou colonias chamadas cidades não é o suficiente para torná-los fortes, saudáveis e unidos. A humanidade pode estar junta, ma não está unida. Esta escultura nos leva a pensar que devemos crescer interiormente e não exteriormente na quantidade de gente.

BIBLIOGRAFIAS
http://uk.reuters.com/resources/r/
http://www2.cndp.fr/secondaire/portugais/annee_bresil/Images/tdc_photo_mega.jpg
http://s.tf1.fr/mmdia/i/72/8/3308728fkrkd.jpg
www.notre-planete.info/actualites/actu_602_fo...
http://a6.idata.over-blog.com/500x333/0/41/70/57/
http://img139.imageshack.us/i/bluebananafb1.png/
ttp://www.visoterra.com/photos-montreal/montreal-la-foule-illuminee.html, acesso em 29/10/2010
labaudiopromove.blogspot.com/ acesso em 29/10/2010
http://rebeccaleao.blogspot.com/2007_11_01_archive.html, acesso em 29/10/2010
www.jornaldosamba.blogger.com.br/2005_acesso em 29/10/2010
stop-animals-genocid.bleublog.lematin.ch/fich.

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

HAMBRE

HAMBRE MUNDIAL: Ochocientos cincuenta y cuatro millones de personas del mundo están subalimentadas, esto es, disponen de menos de 1.900 calorías diarias. De este número, 820 millones se encuentran en países en vías de desarrollo, en contraste con las 823 millones que había en 1990.
Este informe anual publicado ayer por la FAO, Organización de Naciones Unidas para la Agricultura y la Alimentación, no muestra ninguna mejora en estos últimos diez años. En la Cumbre Mundial sobre la Alimentación de noviembre de 1996, los jefes de Estado y de gobierno de 180 países se fijaron como objetivo reducir a la mitad para el 2015 la cantidad de gente con hambre. 
FUENTE:
http://www.portalplanetasedna.com.ar/hambre_mundial.htm



 

quinta-feira, 29 de julho de 2010

CIRCULATION DENSE EN FRANCE

Circulation très dense en France pour les départs en vacances.
24-7-2010

domingo, 11 de julho de 2010

CRONOLOGIA DE LA SUPERPOBLACIÓN

EL EQUILIBRIO DEL MUNDO

sopitas007 | 28 de abril de 2009
Desde hace algo más de doscientos años, los expertos han venido preocupándose por el constante crecimiento de la población mundial.

- Un desmesurado crecimiento demográfico global supondría una grave escasez de alimentos y agua y un daño irreparable al medio ambiente.
- INDIA PRONTO ADELANTARÁ A CHINA COMO LA NACIÓN MÁS POBLADA.
- En Japón, el bajo índice de fertilidad reducirá su población de 126 millones a la mitad a finales de siglo.

Hoy, siete mil millones de habitantes pueblan la Tierra. Se prevé que si la natalidad desciende por debajo de los dos hijos, para 2050, la población del planeta podría estabilizarse en unos nueve mil millones de personas.



PROBLEMAS DEL CRESCIMIENTO DEMOGRÁFICO




Crecimiento Demográfico ¿Es realmente un problema?

1er fotovideo que realizo, con el fin de generar discusión en la materia "Teorías educativas y su aplicación en Educación Ambiental"; del Doctorado en Educación Ambiental. Y mostrar otras posibilidades en presentaciones. Tiene errores de edición sobre todo en sonido. Aun así espero que lo disfrutes!!!

CONTROL DE NATALIDAD EN CHINA Y INDIA

Control de la Natalidad en China e India



CRESCIMIENTO DESORBITADO EN MEXICO

ecooss | 19 de setembro de 2009
El líder de la Coalición "Cirilo Sánchez" de Valle de Chalco, Estado de México, Marcelino Guzmán León, comenta que los gobiernos de los distintos niveles deben atender y buscar alternativas para controlar el crecimiento urbano que genera una mayor demanda de empleo y servicios.

terça-feira, 27 de abril de 2010

CAOS SOCIAL

Se estamos viviendo em um caos social com tanta desigualdade e com tanta gente passando necessidae, proque não damos um fôlego para a própria natureza e a humanidade, fazendo um severo controle de natalidade visando estabilizar a população de humanos na terra.

Já que tem tanta gente passando necessidade nesta geração e não estamos conseguindo distribuir a riqueza de maneira justa, por que não controlar a natalidade visando impedir que mais pessoas venham para o mundo para sofrer????


Se já vivemos em um mundo violento, perigoso e com tanta gente passando fome, por que não brecamos um pouco isso diminuindo a taxa de crescimento populacional???




"O maior assassino do mundo e a maior causa de doenças e sofrimento ao redor do golfo é… a extrema pobreza."

Desigualdade Social

21 países retrocederam em seu Índice de Desenvolvimento Humano, contra apenas 4 na década anterior. Em 54 países a renda per capita é mais baixa do que em 1990. Em 34 países a expectativa de vida ao nascer diminuiu, em 21 há mais gente passando fome e em 14 há mais crianças morrendo antes dos cinco anos;

No Brasil, 10% brasileiros mais pobres recebem 0,9% da renda do país, enquanto os 10% mais ricos ficam com 47,2%. Segundo a Unicef, 6 milhões de crianças (10% do total) estão em condições de “severa degradação das condições humanas básicas, incluindo alimentação, água limpa, condições sanitárias, saúde, habitação, educação e informação”.

A pesquisa ainda mostra que 15% das crianças brasileiras vivem sem condições sanitárias básicas. As áreas rurais do Brasil concentram a maioria das crianças carentes, com 27,5% delas vivendo em “absoluta pobreza”.

Segundo a OIT, os dados de trabalhadores domésticos infantis é espantoso: no Peru, 110 mil; no Paraguai, 40 mil; na Colômbia, 64 mil; na República Dominicana, 170 mil; apenas na Guatemala, 40 mil; no Haiti, 200 mil; e no Brasil – o campeão de trabalho doméstico na América Latina e talvez no mundo – 500 mil.

. Com 53,9 milhões de pobres, o equivalente a 31,7% da população, o Brasil aparece em penúltimo lugar em termos de distribuição de renda numa lista de 130 países. É o que mostra estudo do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) que o ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, divulga hoje em Brasília.

Das 55 milhões de crianças de 10 a 15 anos no Brasil, 40% estão desnutridas. 1,5 milhão entre 7 e 14 anos está fora da escola. A cada ano, 2,8 milhões de crianças abandonam o ensino fundamental. Das que concluem a 4ª série, 52% não sabem ler nem escrever.





Mais de 27 milhões de crianças vivem abaixo da linha da pobreza no Brasil, e fazem parte de famílias que têm renda mensal de até meio salário mínimo. Aproximadamente 33,5% de brasileiros vivem nessas c ondições econômicas no país, e destes, 45% são crianças que têm três vezes mais possibilidade de morrer antes dos cinco anos.

A cada 12 minutos, uma pessoa é assassinada no Brasil. Por ano, são registrados 45 mil homicídios no País. No entanto, a probabilidade de um assassino ser condenado e cumprir pena até o fim no Brasil é de apenas 1%.

O Brasil é, segundo a ONU, o país onde mais se mata com armas de fogo. Todos os anos são mortos 40 mil brasileiros;

1,9% do PIB brasileiro é consumido no tratamento de vítimas da violência;

A Aids já deixou mais de 11 milhões de órfãos na África; o devastador avanço desta doença fará com que, em 2010, pelo menos 40 milhões de menores em todo o continente tenham perdido pelo menos um de seus pais, segundo a UNICEF. < SPAN class=status-content>A cada minuto, uma criança morre de AIDS.

Mais de 1,1 bilhão de pessoas não têm acesso à água potável no planeta, segundo dados da ONU. Outros 2.4 bilhões não têm saneamento básico. A combinação do dois índices é apontada com a causa de pelo menos 3 milhões de mortes todo ano. Um europeu consome em média entre 300 e 400 litros diariamente, um americano mais de 600 litros, enquanto um africano tem acesso a 20 ou 30 litros diários.

Um em cada seis habitantes da Terra não tem água potável para beber e dois em cada cinco não dispõem de acesso a saneamento básico.

Até 2050, quando 9,3 bilhões de pessoas devem habitar a Terra, entre 2 bilhões e 7 bilhões de pessoas não terão acesso à água de qualidade.

A fome no mundo, depois de recuar na primeira metade dos anos 90, voltou a crescer e já atinge cerca de 850 milhões de pessoas. A cada ano, entram nesse grupo mais 5 milhões de famintos.

A OMS (Organização Mundial da Saúde) estima que 160 mil pessoas estão morrendo por causa do aquecimento global, número que poderia dobrar até 2020 - contabilizando-se catástrofes naturais e doenças relacionadas a elas.

Além da morte, a desnutrição crônica também provoca a diminuição da visão, a apatia, a atrofia do crescimento e aumenta consideravelmente a susceptibil idade às doenças. As pessoas que sofrem de desnutrição grave ficam incapacitadas de funções até mesmo a um nível mais básico.

Muitas vezes, são necessários apenas alguns recursos simples para que os povos empobrecidos tenham capacidade de produzir alimentos de modo a se tornarem auto-suficientes. Estes recursos incluem sementes de boa qualidade, ferramentas adequadas e o acesso a água. Pequenas melhorias nas técnicas de cultivo e nos métodos de armazenamento de alimentos também são úteis..

Muitos peritos nas questões da fome acreditam que, fundamentalmente, a melhor maneira de reduzir a fome é através da educação. As pessoas instruídas têm uma maior capacidade para sair deste ciclo de pobreza que provoca a fome.

Fontes: Documentos internacionais, principalmente da ONU, UNICEF, OMS, FAO e UNAIDS.

Por: Marcio Demari / Diretor Presidente do Planeta Voluntários - Brasil